domingo, 31 de Maio de 2009

A influência da Bauhaus na arquitectura e no Design em França na década de 60

Na aula de história da teoria do design vimos um filme (“Play Time”) em que se nota a arquitectura e o design em França nas décadas de 50/60. Em seguida teríamos que realizar um trabalho que revelasse a influência da Bauhaus na arquitectura e Design Francês na década de 60.
No séc XIX surge a arquitectura moderna com edifícios de estrutura metálica e o aparecimento do cimento armado que possibilitaram o surgimento dos primeiros arranha-céus nos E.U.A. Contudo foi no séc XX que foi possível fazer novas experiências, devido a um melhor entendimento do ferro, aço, vidro, alumínio e principalmente betão, que caracterizam a arquitectura deste século.
No séc XX houve necessidade de reconstruir cidades, alojar os cidadãos através de novas soluções urbanísticas. Isto devido às exigências da sociedade industrial, crescimento urbano, destruição causada pela 1ª guerra mundial. A arquitectura burguesa tradicional tornou-se desadquada em relação a esta nova realidade e passou a haver um novo tipo de construção simples e barata e com condições de habitabilidade.
Devido a esta nova realidade aparecem certas características da arquitectura e do design na Bauhaus que posteriormente apareceram também em França nas décadas de 50/60, tais como:
• Relação intima entre a arquitectura e o urbanismo
• Presença notória de arranha-céus
• Reacção ao passado (eliminação das formas naturais e tudo o que se opunha à arte pura
• Volumes simples, formas geometrizadas: predomínio de linhas rectas e sólidos geométricos
• Eliminação da decoração (paredes lisas quase sempre brancas)
• Coberturas planas geralmente transformadas em terraços
• Janelas amplas em fita ou fachadas cortina em vidro fazendo com que existam transparências que permitem entrada de luz natural(consegue-se ver de dentro para fora bem como de fora para dentro)
• Portas igualmente em vidro que reflectem no vidro a paisagem exterior (no caso do filme há uma porta que reflecte a torre Eiffel)
• Pilotis- pilares que elevam o edifício para dar a ideia que este está suspenso
• Utilização de novos materiais pré-fabricados: ferro, betão, vidro
• Plantas livres- abertura dos espaços interiores
• Interligação com artes menores (aplicadas):escultura, cerâmica, tecelagem...
• Nos interiores: elevadores com portas deslizantes, preocupações geométricas, ex: no filme aparece um escritório em que os gabinetes têm todos forma cúbica e estão dispostos simetricamente) espaços comerciais com escadas rolantes
• Equipamentos: todos com preocupações funcionais sem esquecer o seu lado estético.
• Iluminação permite homogeneidade nos espaço para o exterior

Concluindo:
Pretendia-se que a arquitectura fosse racional, prática, limpa, social. Os volumes dos edifícios eram simples, sem ornamentos. A estruturas metálicas permitem a abertura nas fachadas em betão com grandes janelas em vidro com caxilharia em aço.
O vidro é utilizado formando uma protecção transparente que pressupõem a interpenetração entre o interior e o exterior. As janelas de vidro revelam a estrutura de aço delineada em toda a sua transparência pela grelha de ferro da estrutura exterior.
Em relação ao design, os objectos utilizados eram de uso comum, embora houvesse uma preocupação estética tornando-os em obras de arte. A Bauhaus foi uma escola com estilo próprio que demonstrou que o desenho de um objecto podia ser artístico e industrial simultaneamente (desde que houvesse ligação entre a forma e a função).
Posted on 07:10 | Categories:

terça-feira, 19 de Maio de 2009

Bauhaus

Posted on 16:26 | Categories:

Peter Beherens




Peter Beherens nasceu em Hamburgo (Alemanha) em 1968 e foi arquitecto e designer.
Foi uma figura influente na arquitectura alemã. É considerado o primeiro designer indústrial e foi o primeiro a criar uma identidade corporativa.
Em 1907 foi nomeado pelo director da AEG para trabalhar como director do departamento de design, sendo que trabalhou o design em todos os níveis: projectou a fábrica de turbinas, logotipo e toda a identidade corporativa, arte gráfica e design de produtos(ventoinhas, chaleiras, candeeiros, entre outros).

Le Corbusier, Gropius e Mies van der Rohe colaboraram com beherens nesta época e foram influênciados por ele nas suas formações.




Posted on 15:41 | Categories:

El Lissitzky


1890-1941
Também conhecido como Lazar Markovitch Lissitzky é um artista, pintor, designer, fotógrafo, arquitecto e professor da Rússia pós-revolucionária e a sua obra é muito conhecida na Europa.
Fez parte da vanguarda russa e o seu trabalho influênciou a Bauhaus, o construtivismo,o De Stijl e o design de livros.
Lissitzky é considerado uma figura com reputação universal, mas para entendermos a sua obra não podemos deixar de referir o ambiente da revolução russa (reviravoltas e fé na transformação radical do mundo).
Em 1912 já fazia ilustrações de livros à maneira de Chagall. Em 1917 formou-se em arquitectura em Moscou.
O período que considerou o de maior actividade criativa foi entre 1919 e 1921, altura em que viveu em Vitebsk e atingiu a maturidade como arquitecto, tipografo e também nas exposições de design.
Lisssitzky conheceu Malevich em 1918 quando foi a Moscou para conhecer as obras dos suprematistas na 10ª Exposição Estatal do Suprematismo e da Arte Abstracta. Um ano depois foi convidado por Chagall para Vitebsk e ansiava encontrar Malevich (adorou a sua obra e a exposição vista anteriormente),porque sabia que ele lá estava.Em Vitebsk deu aulas no Atlier de Artes Gráficas, Impressão e Arquitetura do Colégio de Arte do Povo. Lissitsky era exigente com os seus alunos, visto que pretendia que eles aprendessem "os métodos e sistemas básicos da arquitetura e desenvolvenvolvessem a expressão gráfica e plástica dos seus projetos construtivos através do uso de modelos".
Os projetos “Proun” foram uma consequência do estudo do suprematismo, sendo desenvolvido no início com os métodos mencionados anteriormente.
Estes projectos têm a influência da obra de Malevich. É importante citar que Malevich se tornou director da escola Vitebsk sucedendo Chagall.
Inicialmente os “Prouns foram considerados pinturas, mas Lissitsky considerava-os como desenhos que faziam parte de um estágio que estaria entre a pintura e a arquitectura. Ele pretendia com eles que se estudassem relações :forma –material, cor-matéria e construção-matéria.

OBRA:
Design de livros: Tipografia















“About 2 Squares” é um livro pequeno com imagens para crianças e é uma das obras que demonstra melhor o Comunismo revolucionário e a arte moderna.
Posted on 11:09 | Categories:

Charlie Chaplin(tempos modernos)



No nosso primeiro trabalho da disciplina tinhamos que apresentar alguma coisa que se relacionasse com a revolução industrial.
O meu grupo decidiu mostrar excertos do filme do Charlie Chaplin (tempos modernos). Com a evolução das máquinas os produtos ficaram cada vez mais standartizados,, mas surgem problemas: a máquina começa a substituir o homem o que leva a um crescimento de desempregados. Por outro lado obriga o trabalhador a fazer movimentos repetitivos tornando-se impossível estimular alguma criatividade.
Posted on 10:44 | Categories:

segunda-feira, 20 de Abril de 2009

Este semestre o professor Luís Salomão Gomes, que é o nosso professor de História da Teoria do Design pretende fazer avaliação através dos blogs dos alunos. Este terá que ter informação sobre temas que estejam relacionados com DESIGN. 
Sendo assim será neste blog que colocarei informação que achar pertinente de colocar.
Posted on 16:58 | Categories: